terça-feira, 30 de junho de 2009

segunda-feira, 29 de junho de 2009

domingo, 28 de junho de 2009

Contrariar as estatísticas


Coincidências felizes: tinha lido na semana passada que a "contaminação luminosa impede 99 por cento dos europeus de verem a via láctea".
Por isso, este fim de semana ainda soube melhor pertencer a um magro 1%: só no Alentejo as noites são estreladas como num planetário.
E eu tinha saudades de ficar assim deslumbrada.

Boa semana.

(ln)

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Balleteatro, PORTO, 1 a 4 de Julho


(ln)

Recordo-o pela música

Em todas as dimensões, no bom e no mau, na ascensão e na decadência há pessoas que marcam a história, neste caso da arte, da música... Porque sim.Porque não?
Não sou um fã, sou apenas um espectador que gostou de ouvir...



e vendo por este exemplo, haverá sempre oportunidades de revisitação...

quinta-feira, 25 de junho de 2009

E esta hein?

http://tempora-mores.blogspot.com/

dei de caras com este blog. como é pequeno o mundo...

(lbc)

Sorriso



e um cigarro que eu não fumo.

terça-feira, 23 de junho de 2009

Releituras IV

"Houve um tipo que te amou que tu amaste. E isto perturba a ordem da Terra, dos astros em que o amor se nos ordenou.
(...)
Estou a ouvir a tua palavra oblíqua - que tolice. E todavia, vê tu, estou a ponto de construir no meu nada de tudo uma ideia de redenção com a memória de ti para esse nada que é meu.
(...)
Está uma tarde sufocante, vou deixar que ela se cumpra na sua fadiga e o sol se apague na noite. Voltarei a escrever-te - voltarei?


Vergílio Ferreira, "Cartas a Sandra"

(ln)

domingo, 21 de junho de 2009

Estranho

Passou ontem um mês desde a última apresentação da Ópera do Falhado.

Tão pouco tempo?

ou

Tanto tempo?

Quid Juris?

;-)

(ln)

sábado, 20 de junho de 2009

Teatro da Comuna, Lisboa

Querida Professora Helena Serguéiévna

Com um grande ramo de flores, um serviço de cristal e enormes sorrisos, quatro alunos finalistas batem à porta de Helena Serguéiévna, uma das suas professoras. Vêm desejar-lhe um feliz aniversário a esta mulher que vive sozinha. Emudecida com tanta gentileza, a professora Helena pede-lhes que fiquem partilhando o que resta no frigorífico. Estes amáveis intrusos só a foram visitar para lhe tirar a chave do cofre onde estão guardados os exames que eles pretendem trocar pelos que trazem consigo. Uma chantagem de incrível violência abate-se sobre a professora.

Ficha Técnica
Autoria: Ludmilla Razoumovskaia
Versão Cénica e Encenação: João Mota
Interpretação: Hugo Franco, Marco Paiva, Maria Ana Filipe, Rui Neto e Tânia Alves
Figurinos: Carlos Paulo
20 MAIO A 28 JUNHO
De Quarta a Sábado às 21h30m / Domingos às 16h
Quartas e Quintas preço único de 5€
De Sexta a Domingo 10€, Jovens e Terceira Idade 7.5€
DURAÇÃO 1H25 MINUTOS S/ INTERVALO
Reservas através do email reservas@comunateatropesquisa.pt
(ln)

Teatro Aberto, Lisboa

(Clique-se p.f. no cartaz p/ ampliar, parece que dá ;-))

(ln)

Sábado de sol a ouvir MPB**

** Para os mais novinhos ;-), a sigla significa Música Popular Brasileira


Teresinha (Ópera do Malandro)
(...)
O terceiro me chegou como quem chega do nada
Ele não me trouxe nada também nada perguntou
Mal sei como ele se chama mas entendo o que ele quer
Se deitou na minha cama e me chama de mulher
Foi chegando sorrateiro e antes que eu dissesse não
Se instalou feito posseiro, dentro do meu coração
(...)
http://www.youtube.com/watch?v=qKq0hz44GnQ

Sem fantasia
(...)
Eu quero te contar
Das chuvas que apanhei
Das noites que varei
No escuro a te buscar
Eu quero te mostrar
As marcas que ganhei
Nas lutas contra o rei
Nas discussões com Deus
(...)http://www.youtube.com/watch?v=vSY8xSrymnM

Noite dos mascarados
(...)Mas é carnaval
Não me diga mais quem é você
Amanhã, tudo volta ao normal
Deixe a festa acabar
Deixe o barco correr
Deixe o dia raiar
Que hoje eu sou
Da maneira que você me quer
(...)
http://www.youtube.com/watch?v=n72vD9Wtt8Y


Tá combinado
(...)
Não tem nenhum engano nem mistério.
É tudo só brincadeira e verdade.
Podemos ver o mundo juntos,
Sermos dois e sermos muitos,
Nos sabermos sós sem estarmos sós.
(...)Mas e se o amor já está, se há muito tempo que chegou
E só nos enganou?
(...)
http://www.youtube.com/watch?v=XbL8-pg-G9w

Valsinha
(...)Então ela se fez bonita como há muito tempo não queria ousar
Com seu vestido decotado cheirando a guardado de tanto esperar
Depois os dois deram-se os braços como há muito tempo não se usava dar
E cheios de ternura e graça foram para a praça e começaram a se abraçar
(...)
http://www.youtube.com/watch?v=uSz17T7ue6Q

Brooke

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Festival Silêncio


Com agradecimento ao Francisco, que descobriu que ia acontecer.


(ln)

quinta-feira, 18 de junho de 2009

death proof (Tarantino)

Após uma pesarosa ausência, muito sentida, da parte do senhor engenheiro neste blog, aqui está ele para partilhar um pouco das suas lembranças matinais e que perduram normalmente durante alguns dias...
neste caso é a música da cena mas traz consigo um filme brilhante...

http://www.youtube.com/watch?v=eqsswEJghTE

segundo link: este não é para almas sensiveis! Esta cena, inacreditávelmente bem filmada reporta a um género de filmes (greenhouse) revisitado por Tarantino...
aqui fica um cheirinho do que falo:

http://www.youtube.com/watch?v=lM4JFy7mPNk

Beijos a todos!!!
Engenheiro

"Le premier bonheur du jour c'est un ruban de soleil"

Mais uma tentativa de converter as massas ignaras ao francês ;-) : hoje acordei com um raio de sol a brincar com os olhos e passei o dia a lembrar a doçura da Françoise Hardy numa música que há anos me fartava de ouvir numa ....cassette (pois...) antiga.

http://www.youtube.com/watch?v=LO_yZKLACBI


(ln)

terça-feira, 16 de junho de 2009

A mais bonita das letras e músicas do Cohen

(Lila, Lila: just behind you!)

http://www.youtube.com/watch?v=30egIKHT-pM


Suzanne takes you down to her place near the river
You can hear the boats go by
You can spend the night beside her
And you know that she's half crazy
But that's why you want to be there
And she feeds you tea and oranges
That come all the way from China


And just when you mean to tell her
That you have no love to give her
Then she gets you on her wavelength
And she lets the river answer
That you've always been her lover


And you want to travel with her
And you want to travel blind
And you know that she will trust you
For you've touched her perfect body with your mind.

And Jesus was a sailor
When he walked upon the water
And he spent a long time watching
From his lonely wooden tower

And when he knew for certain
Only drowning men could see him
He said "All men will be sailors then
Until the sea shall free them"

But he himself was broken
Long before the sky would open
Forsaken, almost human
He sank beneath your wisdom like a stone

And you want to travel with him
And you want to travel blind
And you think maybe you'll trust him
For he's touched your perfect body with his mind.

Now Suzanne takes your hand
And she leads you to the river
She is wearing rags and feathers
From Salvation Army counters

And the sun pours down like honey
On our lady of the harbour
And she shows you where to look
Among the garbage and the flowers


There are heroes in the seaweed
There are children in the morning
They are leaning out for love
And they will lean that way forever
While Suzanne holds the mirror

And you want to travel with her
And you want to travel blind
And you know that you can trust her
For she's touched your perfect body with her mind.

(ln)
Uma pitada da nossa "ida ao cinema" de ontem:
O Noronha estava tolinho,a Inês tinha sono, a Rita ia estudar, o Sérgio não queria ver nenhum filme, a Catarina tinha dores no corpo e gente deitada ao monte na cama, e o Bruno queria por força ver a brilhante prestação dos portugueses nos festivais da canção.
(mas acabou por ser o único a ver o filme...)




Beijos, rita

dÀc na homenagem ao Prof. Doutor Ribeiro de Faria

FDUP, 17.6.2009, 14h30

O dÀc participa na cerimónia de homenagem ao Prof. Doutor Jorge RiBeiro de Faria, que se realizará amanhã, 17.6.2009, pelas 14h30, com

"4 escolhas para Ribeiro de Faria"

Cântico Negro, José Régio
Poema em Linha Recta, Álvaro de Campos
Livro de Horas, Miguel Torga
Pensar, Vergílio Ferreira

Apareçam!

(lbc)

segunda-feira, 15 de junho de 2009

o dÀc e a minha vida familiar

(dos efeitos dÀc na minha/nossa vida social já nem falo...)

Mãe: Inês, o que é que estás aqui a fazer outra vez? O estudo já acabou?
M.: Que falta de força de vontade.
Mãe: Olha quem fala. Tens as tuas contas para fazer...
M.: Oh mãe por que é que defendes sempre a Inês?
Mãe: Eu não defendo sempre a Inês, tu é que tens a mania da perseguição.
I.: Muahahah. Ihihihihi
M.: Cala-te, seu cabeço de boi! Sua alma de chouriço!
(esta parte é para a Catarina)
I.: E tu és uma incapacitada.
M.: Oh mãe, ouviste o que ela me chamou?
Mãe: Oh Inês, francamente.
I.: Oh mãe, é verdade. Ela é menor, não tem capacidade de exercício.
M.: Oh mãe!
Mãe (risos): Deixa lá, Marta, ela está só a ler as leis dela...Não ligues.

domingo, 14 de junho de 2009

Alguns Retratos dos Momentos Passados ao Som do nosso DJ F. Noronha (DJFranzs/Afonso)

Aqui ficam expostos alguns dos momentos passados no Radio na Sexta-Feira, dia 12 de Junho.















































Prémios:

Melhor Dj - Prémio Best Sonoro: DJ F. Noronha (Franzs/Afonso)

Rainha da Noite: Joana e Margarida (empate técnico)

Melhor Vestido: Lila, Lila (Next: a ver se te quedas más tiempo)

Melhor Fotografo: Bruno (e único)

Melhor Conversadeira: Inês (Prémio "DIZER")


Releituras III

"Fotografia de São Francisco**

A Califórnia não é eterna, mas há um certo tipo de silêncio que se procura sempre e que se encontra apenas muito raramente.
Esse é o teu brilho, São Francisco.
Vais ver, teremos camisas de flores coloridas e saberemos rir-nos de tudo.
E, contra todas as expectativas, quando um de nós estiver a morrer, o outro estará lá."

José Luís Peixoto, "Gaveta de Papéis" (2008)


**(quase em jeito de homenagem, porque é uma das cidades que conheço com a luz mais parecida com a da Lisboa branca que teve o seu dia ontem)

(ln)

sábado, 13 de junho de 2009

DJ F. Noronha no Rádio

só para agradecer a malha tipo 80's. diverti-me muito e tive pena de não poder ficar mais tempo. decididamente o melhor DJ da Casa em vários meses (ou saídas dÀc, pelo menos). a repetir. em breve.

(lbc)

Sociedade dos Apreciadores de Nuvens

Coisas bonitas em dias ocupados com (estudo para ou correcção de) exames:


http://cloudappreciationsociety.org/


(ln)

António Variações

Faz hoje 25 anos que morreu e os meios de comunicação social vão passar o dia a dizer que foi um homem que viveu antes do seu tempo (vai uma aposta?).


http://www.youtube.com/watch?v=Tnzy2KS9IVs

(ln)

O Maravilhoso Almoço do Bruno e da Rita na Cantina da FDUP

Começo por dizer, que este post só é publicado dado o facto de ter recebido inúmeros pedidos para o fazer, ou seja, resumindo: A pedido de varias famílias aqui vai...

Começo por dizer que tudo começou há um tempo atrás na ilha do sol, o destino te mandou de volta para o meu cais... Oh hey... (Sorry, não era nada disto que queria dizer, bem, avançando...)



Era uma vez...

Uma menina chamada Rita e um menino chamado Bruno que estavam em plena fila das senhas de almoço do Bar da FDUP. Quando do nada, sem estar à espera de nada, a Rita sugere ao Bruno para ir almoçar à Cantina. Ela fez a sugestão com o seguinte comentário: "Oh! Claro que não podemos ir, porque uma pessoa tu (Bruno), do teu nível, não come em sítios pobres e baratinhos como eu frequento, sendo que a comida da cantina é ranhosa mas eu até gosto... Pelo menos, podemos ir ver a ementa e se não gostares não comemos lá!"

Ora bem, Eu, Bruno, depois disto disse: "Ok! Apesar de fazer mais de dois anos que não ponho os pés na cantina, vamos lá comer na cantina" - para a Rita ficar feliz!

(Sendo que a Rita nunca esperou que eu fosse comer com ela na Cantina)

Chegamos à cantina, como da última vez que estive la - mais ou menos há dois anos atrás - a primeira impressão que tive foi: - Continua muito escura e sombria e fechada, com pouca iluminação e com falta de ventilação!

Mas já estando na Cantina vimos a ementa fomos então ao balcão de self-service, e tiramos primeiramente o tabuleiro, os cobertos e o copo. De seguida tiramos o pão, enchemos o copo de sumo, tiramos uma sopa e uma fruta. E por último, escolhemos o prato que queríamos.
É preciso frisar que no expositor de pratos haviam mais opções do que o cardápio da ementa continha. Situação que mereceu outro comentário por parte da Rita: "Outro dos motivos pelo qual gosto tanto da Cantina, para além de ser baratinho, chegamos aqui e surpreendemos-nos sempre! Porque há sempre mais pratos do que aqueles que estão na lista da ementa!"

Preciso de frisar outras opiniões que tive, para além da primeira impressão que tive e que já frisei.
A Cantina inovou nestes aspectos (comparando com a ultima vez em que a frequentei):

- O pão é maior

- Agora dispõe aos clientes de 2 (dois) sumos de sabores diferentes: laranja e maçã (antigamente só dispunha de sumo de laranja) - [Sendo que a Rita mistura ambos, dizendo que sabe muito melhor!]

- O preço aumentou, não sei muito bem, mas talvez entre os 10cents. e os 20 cents.


Bom, depois de tudo isto já com os nosso tabuleiros repletos de comida, fomos sentarmos para uma mesa - que foi escolhida pela Rita.

Vejam só o que nós almoçamos. Estas foram as nossas Escolhas.

As Escolhas do Bruno:
Sopa de Legumes, Pão, Sumo de Maçã
Prato: Arroz com Grão de bico, Courgettes e Cenoura
Sobremesa: Pera


As Escolhas da Rita:
Sopa de Legumes, Sumo MIX de Laranja e de Maçã
Prato: Arroz com febra e ovo
Sobremesa: Melão

Para além dos pratos ficam aqui mais imagens que com provam o facto que realmente almoçamos na Cantina



Aqui ficam algumas conversas/frases que a Rita pronunciou durante o almoço:

- "Aí, que seca! Aí odeio mandar mensagens quando estou a almoçar!"

- "Sinto-me tão em casa aquí na Cantina!"

- "Já não tou com o dÀc há totil!"


Depois de comer a Sopa e o Prato-Principal tivemos que desimpedir o tabuleiro para podermos comer a sobremesa à vontade.



Sendo que depois de o almoço terminar, surge o seguinte comentário por parte da Rita:

- "É terrível mas eu nunca devia almoçar, porque depois de almoçar da-me um sono incrível. Só me apetece dormir! (...) Fico triste que a faculdade não tenha um grande jardim para lá poder descansar e dormir uma soneca, de vez enquanto..."

Bruno: - "Tens que ir para Espanha trabalhar, assim depois de almoçar podes dormir à vontade!"


Passados alguns minutos, acontece o que podem ver nas imagens:







(E depois acordou...) E voltamos para as nossas vidas normais, de estudantes cansados e exaustos dos exames e do estudo... Mas tem que ser, o que tem que ser tem muita força... Ou talvez não... Quem sabe... Que Será, Será...



THE END

BL

sexta-feira, 12 de junho de 2009

17 de Junho de 2009, 14h30, Salão Nobre da FDUP

Parte do sector mais cota do direitoÀcena** vai intervir no próximo 17 de Junho de 2009 em sessão de homenagem ao Prof. Doutor Ribeiro de Faria.

O programa completo pode encontrar-se aqui

http://sigarra.up.pt/fdup/noticias_geral.ver_noticia?P_NR=568

**(meaning, do sector que teve o prazer de conhecer o homenageado.)

quinta-feira, 11 de junho de 2009

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Releituras II

"Parecera o começo da felicidade, e às vezes, passados mais de trinta anos, ela ainda se sente chocada ao dar-se conta de que FOI felicidade, de que toda a experiência se encontra num beijo e num passeio, na previsão de um jantar e de um livro (...). O que continua a viver, intacto, na memória de Clarissa, decorridas mais de três décadas, é um beijo no crepúsculo, num retalho de erva seca, e um passeio à volta de uma lagoa, enquanto zumbiam mosquitos no ar que escurecia. Ainda permanece essa perfeição singular, e é perfeição, em parte, porque pareceu, na altura, prometer tão claramente mais. Ela agora sabe: esse foi o momento, exactamente esse."

Michael Cunningham, "As horas"


(ln)

terça-feira, 9 de junho de 2009

Releituras

"Há mulheres que querem que o seu homem seja o Sol. O meu quero-o nuvem. Há mulheres que falam na voz do seu homem. O meu que seja calado e eu, nele, guarde meus silêncios. Para que ele seja a minha voz quando Deus me pedir contas. No resto, quero que tenha medo e me deixe ser mulher. Que ele seja homem em breves doses. Que exista em marés, no ciclo das águas e dos ventos. (...).
Quando ele me dirigiu palavra, nesse primeiríssimo dia, dei conta de que, até então, nunca eu tinha falado com ninguém. O que havia feito era comerciar palavra, em negoceio de sentimentos. Falar é outra coisa, é essa ponte sagrada em que ficamos pendentes, suspensos sobre o abismo. Falar é outra coisa, vos digo. Dessa vez, com esse homem, na palavra eu me divinizei. Lembro desse encontro (...). Como se aquele momento fosse, afinal, toda a minha vida (...). Era uma tarde boa para gente existir. O mundo cheirava a casa. O ar por ali parava. A brisa sem voar, quase nidificava. Vez e voz, os olhos e os olhares. Ele, em minha frente, todo chegado como se a sua única viagem tivesse sido para a minha vida".

Mia Couto, "O fio das missangas"

(ln)

domingo, 7 de junho de 2009

Apontamentos

O Nuno Melo é tão giro e fala tão bem que eu até sinto que percebo tudo :p

(mas consegui resistir a votar CDS, sim - podem ir fazer ó-ó descansadinhos)

Farto de Voar



Farto de voar
Pouso as palavras no chão
Entro no mar
Sinto o sal de mão em mão
Tenho um barco na vida espetado
Só suspenso por fios dum lado
E do outro a cair
a cair
no arpão
no arpão

Levo a dormir
Sonhos que andei para trás
Ergo o porvir
Trago nos bolsos a paz
Tenho um corpo na morte espetado
Só suspenso por balas dum lado
E do outro a escapar
a escapar
de raspão
de raspão

Ponho a girar
Cantos que ninguém encerra
De par em par
Abro as janelas para terra
Tenho um quarto na fome espetado
Só suspenso por água dum lado
E do outro a cair
a cair
no alçapão
no alçapão

Farto de voar
Pouso as palavras no chão
Entro no mar
Sinto o sal de mão em mão

Rita

sábado, 6 de junho de 2009

Mayra Andrade, 4.6.2009, Coliseu do Porto

(Mayra Andrade, letra de Grecco Buratta, faixa nº 10 do álbum Storia, Storia)

Hoje eu vim aqui só para te ver menina
Morena linda da pele de âmbar
Dos olhos negros como a noite densa
Cabelos soltos a dançar no ar

Hoje vens vestida com a cor da lua
Menina estrela tens no teu colar
Um sol, no rosto um sorriso puro
Um passo firme a descobrir teu mundo

Morena eu vim trazer tua juventude
Menina eu vim para te fazer entender
Que a vida traça o seu próprio plano
Me dá tua mão morena, vem viver

Mulher, da torre dos teus vinte e um anos
Sinto a tua sede de se libertar
Morena eu vim pra te fazer criança
Mulher eu vim pra te fazer brincar

Hoje o dia amanheceu tão triste
Morena parto, coração em luto
Menina tanto que me aperta o peito
De ver o nosso amor assim desfeito

Hoje vens vestida com a cor do vento
Menina morna tens no teu olhar
Um céu de chumbo e na voz o canto
Lamento lento a embalar teu pranto

Eu vim pra te fazer pensar menina
Morena eu vim aqui pra te mostrar
Que tuas certezas podem ser enganos
Me dá tua mão morena e vem amar

Menina eu vim só para te dizer te quero
Morena eu vim pra te fazer sonhar
Morena moça vim dizer te amo
Menina eu vim pra te fazer mulher


(ln)


morena, menina linda - mayra andrade

sexta-feira, 5 de junho de 2009

GOLPE DE ESTADO!



camaradas da luta: Francisco e Sérgio

Eu estava lá e ouvi a história toda...

.
Professor: "Ora então diga-me lá, se eu fosse um rato e a senhora um gato, o que é que me fazia?"

Aluna opinativa: "Comia-o..."


Uiii, que medo!

o peso na consciência

(...) o filósofo explica que "o que havia de ridículo na nudez foi dissipado pela razão", pois é "tolo quem julga ridícula qualquer outra coisa que não seja o mal, ou quem tenta fazer rir tomando como motivo de troça outro espectáculo que não seja o da loucura e o da maldade". "O útil é belo e só é vergonhoso o que é prejudicial". Começa aqui uma certa defesa do nudismo.
(...)
Mas PLATÃO vai ainda mais longe e tem consciência de que o que vai preconizar a seguir é uma enorme ousadia em comparação com a ideia anterior: trata-se, nada mais nada menos, de proclamar a abolição do casamento e da família. Diz Platão textualmente:
"As mulheres dos nossos guardas serão comuns a todos esses homens, nenhuma delas coabitará em particular com nenhum deles (...)". (...)


in História das Ideias Políticas, Freitas do Amaral

E assim o Capitão Haddock tirou o cachimbo da boca e contemplou vitoriosamente os risos inocentes.

:)

você não entende nada

VAI HAVER GENTE COM REMORSOS, VAI...

(O poema é do Mário de Sá Carneiro, há uma versão cantada dos Trovante)

QUANDO EU MORRER batam em latas,

Rompam aos saltos e aos pinotes,
Façam estalar no ar chicotes,
Chamem palhaços** e acrobatas!

Que o meu caixão vá sobre um burro
Ajaezado à andaluza...
A um morto nada se recusa,
Eu quero por força ir de burro.



** De acordo com as últimas notícias, parece que esta parte está garantida.

(ln)

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Vejam só o que eu encontrei nos meus Arquivos!!!!

Para "matar" um pouco as Saudades dos nossos belos momentos - nos ensaios.

Ensaios de 31 de Março de 2009.

As indicações do nosso Sr. Engº ao Genito são um Maximo!!!lol


video

Fadista: "Vamos!!!... Vamos!!! (Palminhas!)"

Gil: "Não Amália, não te vas embora!!!"

Não se va embora porque a musica não é: "Adeus, até um dia! Tenho pena mas não posso mais ficar..." - Tony Carreira

video

Gil: (para a Fadista) "Não! Não! Tu ficas aí... Petrificas!"

Gil: "Genito!!! Tu não podes ser pehfhsoehxx... Espera aí... Uma coisa é PARAR... no sitío!!! Por exemplo: TIPO... Tas assim... e de repente... Mas não podes... TIPO... Tem ser mesmo... TIPO... Tem que se perceber... Por exemplo: A Amália fez... TIPO... Não podes ser apanhado... TIPO, tu tambem..."

Percebeste Genito???

Margarida: (descontente com o Sérgio) "Olha o lençol, Sérgio!?!?!!!... Tapa-me as pernas! eheheheh... Tão frias!!!"

Sérgio/Coelho: Minha rrrrrrrraaaaaatiiinnhnhnhnhnha!"

A Joana, Joana e a Lila, Lila estavam muito contentes com a musica!

Espero que tenham gostado da surpresa Presidencial, meus humildes!

PS: Margarida, afinal... ISTO... Sempre veio para o Blog...lol

Saudações Presidenciais!

BL

Cidadania

.
O link abaixo dirige-se a uma petição pela igualdade ao acesso ao casamento civil entre pessoas do mesmo sexo


http://www.PetitionOnline.com/mpi/

Eu estou banza (e o mundo está louco)

Desculpem lá, mas esta história nova da contagem de visitas é mesmo a sério?

Aqueles números são reais "ipso facto" ou são manipulados e fazem parte da "grande estratégia"?


(ln)

quarta-feira, 3 de junho de 2009

segunda-feira, ao almoço

F. (irónico): Epá, só de pensar que já não vou ao blogue há uma manhã até já me estou a sentir mal...

terça-feira, 2 de junho de 2009

presente para a Lila - recuemos uma década

My Girl no mais companheiro sentido de "és cá das minhas". :)

(o video não é da melhor qualidade mas escolhi-o propositadamente pela emoção que transborda)

Presentes

Só para dizer que é mesmo bom quando os amigos nos conhecem bem.
Luisa, obrigada pelo presente que já está a bombar aqui no meu leitor de CD.

Meninos, 3 discos de "Feel Good 80's", parece-vos bem para a Festa dÀc?
Francisco, já tens material para DiJeizar...

E para dar o mote, aqui fica uma música para animar os meninos que fazem exame amanhã:



(lbc)

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Para uma consulta jurídica de elevada complexidade só nos vale música de elevadíssima qualidade!



(lbc)

Dia da Criança


Quando as crianças brincam

Quando as crianças brincam
E eu as ouço brincar,
Qualquer coisa em minha alma
Começa a se alegrar

E toda aquela infância
Que não tive me vem,
Numa onda de alegria
Que não foi de ninguém.

Se quem fui é enigma,
E quem serei visão,
Quem sou ao menos sinta
Isto no meu coração.

Fernando Pessoa





Paulo de Carvalho - Os Meninos de Huambo




Que a criança que existe dentro de vós, sorria durante todo este dia...

Feliz Dia da Criança!

BL