quarta-feira, 27 de maio de 2009

Talvez o Sérgio Godinho seja mesmo o último dos românticos

"Já viajámos de ilhas em ilhas
já mordemos fruta ao relento
repartindo esperanças e mágoas
por tudo o que é vento

Já ansiámos corpos ausentes
como um rio anseia p´la foz
já fizemos tanto e tão pouco
que há-de ser de nós?

Que há-de ser do mais longo beijo
que nos fez trocar de morada
dissipar-se-á como tudo em nada?

Que há-de ser, só nós o sabemos
pondo o fogo e a chuva na voz
repartindo ao vento pedaços
que hão-de ser de nós

Já avivámos brasas molhadas
no caudal da lágrima vã
e flutuando, a lua nos trouxe
à luz da manhã

Reencontrámos lágrimas e riso
demos tempo ao tempo veloz
já fizemos tanto e tão pouco
que há-de ser de nós

Que há-de ser da mais longa carta
que se abriu, peito alvoroçado
devolver-se-á: «endereço errado?»

Que há-de ser, só nós o sabemos
pondo o fogo e a chuva na voz
repartindo ao vento pedaços
que hão-de ser de nós

Já enchemos praças e ruas
já invocámos dias mais justos
e as estátuas foram de carne
e de vidro os bustos

Já cantámos tantos presságios
pondo o fogo e a chuva na voz
já fizemos tanto e tão pouco
que há-de ser de nós?

Que há-de ser da longa batalha
que nos fez partir à aventura?
que será, que foi
quanto é, quanto dura?

Que há-de ser, só nós o sabemos
pondo o fogo e a chuva na voz
repartindo ao vento pedaços
que hão-de ser de nós"

Que há-de ser de nós?, Sérgio Godinho

Ou então não. E somos todos românticos porque todos temos a incontrolável vontade em querer acreditar nos seus versos. Palavra por palavra.
Caso contrário, já nos tinhamos atirado todos de uma ponte abaixo...

7 comentários:

Joana disse...

Ai pois já... Para a minha companheira do romantismo (LN) um beijinho cúmplice.Nós é que topamos tudo. MAI NADA!! LOL

direitoàcena disse...

E ainda o SG:

EU CONTIGO (não encontro no you tube mas empresto a quem pedir...)


Eu contigo, eu consigo
Fazer o que digo
Eu contigo, eu consigo
Fazer o que digo

Eu contigo,
eu não cobro
eu não pago
e eu não devo

Devo dizer-te ao ouvido
Eu sem ti
não tem sentido
Tem sido
Devo dizer-te ao ouvido
Bem bom
Bem bom, bem bom
Bem mais
do que o que é bom
Bem bom, bem bom




LN

l. disse...

Essas são lindinhas, mas vou sempre dar ao meu querido Jorge Palma. Aqui fica uma das minhas favoritas:

Se alguma vez te parecer
Ouvir coisas sem sentido
Não ligues sou eu a dizer
Que quero ficar contigo
E apenas obedeço
Com as artes que conheço
Ao principio activo que rege desde o começo
E mantêm o mundo vivo

Se alguma vez me vires fazer
Figuras teatrais
Dignas de um palhaço pobre
Sou eu a dançar a mais nobre
Das danças nupciais
E em minhas plumas cardeais
Em todo o meu esplendou
Sou eu, sou eu nem mais
A suplicar o teu amor

É a dança mais pungente
Mão atrás e outra à frente
Valsa de um homem carente

É linda!
E vós cumplices do romantismo (as Neto) acho que estais apenas um pouco insanas, como sempre...

Pipette disse...

Estou contigo, Lila Lila. Nós também somos românticas, só não falamos tanto como elas as duas, não é? Eu gosto desta:

'O tempo não sabe nada, o tempo não tem razão
O tempo nunca existiu, o tempo é nossa invenção
Se abandonarmos as horas não nos sentimos sós
Meu amor, o tempo somos nós

(...)

O meu tesouro és tu
Eternamente tu
Não há passos divergentes para quem se quer
Encontrar...'

Afinal, somos todos uns românticos incuráveis - requisito dAc? - e olhem que o Bruno ainda não comentou este post..aí é que vai ser ;p

Joana disse...

Eu sou fã do Palma, logo muitooo suspeita e essa frase tem um significado especial para mim "se algum dia me ouvires dizer coisas sem sentido, já sabes sou eu a dizer que quero ficar contigo"...Não sei se por mal ou bem é a minha cara...

direitoàcena disse...

Concedo que essa do Palma é boa, lila, lila.

ln

l. disse...

considerações etílicas à parte, o homem escreve e canta como ninguém... eu gosto, pelo menos...