sexta-feira, 20 de março de 2009

Quase fim de semana

«O que eu quero principalmente é que vivam felizes». Não lhes disse talvez estas palavras, mas foi isto o que eu quis dizer. No sumário, pus assim: «Conversa amena com os rapazes». E pedi, mais que tudo, uma coisa que eu costumo pedir aos meus alunos: lealdade. Lealdade para comigo, e lealdade de cada um para cada outro. Lealdade que não se limita a não enganar o professor ou o companheiro: lealdade activa, que nos leva, por exemplo, a contar abertamente os nossos pontos fracos ou a rir só quando temos vontade (e então rir mesmo, porque não é lealdade deixar então de rir) ou a não ajudar falsamente o companheiro. «Não sou, junto de vós, mais do que um camarada um bocadinho mais velho. Sei coisas que vocês não sabem, do mesmo modo que vocês sabem coisas que eu não sei ou já esqueci. Estou aqui para ensinar umas e aprender outras.

Ensinar, não: falar delas.

Aqui e no pátio e na rua e no vapor e no comboio e no jardim e onde quer que nos encontremos».

Sebastião da Gama, Diário



(ln)

2 comentários:

l. disse...

logo que nos conhecemos inauguramos a palavra amiga. recorda-se? bjs
l. (em jeito de post colectivo, daqueles que nós gostamos)

direitoàcena disse...

Recordo, claro. Ainda este fim de semana revi o vídeo. Já lá vão quase seis anos, acredita? Caramba.

(ln)