quarta-feira, 18 de março de 2009

olha que dois


Lisboa que amanhece - Séergio Godinho

A letra aqui.

(FN)

7 comentários:

direitoàcena disse...

Primeiro post, F., verdade?
Para não me acusarem de ser regionalista, sugestão para que ouça a "outra metade" desta música: "A noite passada", com referência ao Douro, e uma das mais bonitas letras do SG.

(ln)

Francisco disse...

verdade!

Sim, também gosto muito dessa... "e então olhaste... e então sorriste.... abriste a janela e voaste!"
:)

direitoàcena disse...

E ainda:
"cheguei-me a ti
disse baixinho "olá",
toquei-te no ombro
e a marca ficou lá
o sol inteiro caiu entre os montes
e então olhaste
depois sorriste
disseste "ainda bem que voltaste""

(ln)

Francisco disse...

e porque não:

"chegado ao mar alto abriu-se em dois o mundo
olhei para baixo dormias lá no fundo
faltou-me o pé senti que me afundava
por entre as algas teu cabelo boiava
a lua cheia escureceu nas águas
e então falámos
e então dissemos
aqui vivemos muitos anos..."

direitoàcena disse...

Isso já é mais esotérico porque invoca - ao menos veladamente - um qualquer tipo de reencarnação! E quanto a isso já tenho mais dúvidas ;-)

(ln)

Francisco disse...

voltemos entao a esferas mais temporais:

"E se um dia a razão
Fria e negra do destino
Deitar mão
À porta, à luz aberta
Que te deixe liberta
E do pássaro se ouça o trino

Às vezes o amor
No calendário, noutro mês, é dor,
é cego e surdo e mudo..."

direitoàcena disse...

Não tinha percebido que o trivial pursuit SG tinha continuado. Mas cá vai, no género mais terra a terra, ouvir/ler a letra da CAROLINA: "dito em resumo
ri melhor quem com teu rir rir".

PS Goes without saying que a Carolina não ria "tipo" transistor desligado (sic).

(ln)