quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Hoje quando cheguei a casa já estavam todos a dormir. Luzes todas apagadas, portanto - nem a do hall deixaram acesa. Abro a porta e não consigo ver nada, mas há um ponto de luz azulada na mesa da entrada. Não estava ali ontem à noite, acho. Vou lá investigar o que é e encontro aquela Nossa Senhora pirosa (desculpe sr engenheiro, mas contra factos não há argumentos) que o Gil nos ofereceu antes da estreia da peça. A minha mãe deve ter estado em arrumações e apareceu-lhe aquela maravilha. Agora, por que é que aquilo foi ali parar, isso já não sei. De repente deu-me um ataque de saudades dos ensaios, destas coisinhas parvas de que nos vamos lembrar sempre e do efeito campo de férias, que está completamente adormecido. Anda cada um na sua vida e ainda bem. Ainda bem que há vida para além do direitoÀcena - relembro que houve alturas em que chegámos a duvidar disso :) -e que estamos todos cheios de projectos e amigos novos (ou de volta aos antigos) e que somos felizes assim (somos não somos? Eu, falo por mim, acho que sou). Mas, caramba...eu agora voltava uma semana inteirinha para o campo de férias. Vocês não?

4 comentários:

direitoÀcena disse...

Agora esta semana não me dá jeito que tenho uma série de teses de mestrado :)

Amália

Francisco disse...

e eu é um sem-fim doutoramentos honoris causa... mas depois dissso, faço a mochila e volto ao campo de férias. :)

l. disse...

estamos todos numa de regresso rápido ao campo de férias. saudades! esta semana, ia eu pela rua a passear, e ouço um grito de "oh, oh, lilaaaaa" vindo de uma carrinha. era o nosso engenheiro, com um sorriso rasgado. que saudades. beijos. até terça!

rita disse...

sim, voltemos!